Você já se pegou com a síndrome do italiano perfeito?

Que síndrome é essa? Quais são os sinais? Como saber se você sofre dela?

Bom, hoje eu quero compartilhar algo que assombra muitos alunos quando estão aprendendo italiano…

Não somente italiano, mas qualquer novo idioma.

Com o passar dos anos, aprendendo e ensinando idiomas, eu fui observando alguns padrões que muitas vezes fazem você travar e não progredir com o seu aprendizado.

E o padrão número 1 é…

Perfeccionismo – uma constante insatisfação com o seu desempenho e a busca incessante pela perfeição.

italiano perfeito 1 - A síndrome do italiano perfeito

O que eu chamo aqui de síndrome do italiano perfeito.

.

E o que acontece quando você entra nesse padrão?

Muitas vezes, você deixa de praticar o idioma, pois se sente inseguro com o seu nível atual, tem medo de errar e simplesmente não fala.

Não se arrisca em oportunidades que tem para se comunicar, pois acredita que não sabe o suficiente…

Com isso se sente sem confiança para falar.

E isso afeta até alunos em estágios mais avançados no idioma.

Já ouvi diversas vezes…

“Eu entendo tudo em italiano, mas ainda não consigo falar.”

italiano perfeito 2 - A síndrome do italiano perfeito

Por quê?

Síndrome do italiano perfeito.

Acreditar que precisa estar perfeito para poder se comunicar…

esse é um grande engano.

É claro que quanto mais dedicação, estudo e  busca pela excelência, melhor, mas é importante lembrar que…

o objetivo principal de um novo idioma é se COMUNICAR.

Para isso, não é necessário saber tudo para poder transmitir a sua mensagem.

Tem uma frase que me identifico bastante que diz o seguinte:

É melhor uma comunicação imperfeita do que comunicação nenhuma.

Mas Pri, como posso lidar com isso?

O primeiro passo é você ter consciência de que está travando o seu progresso, porque busca a perfeição, em vez da evolução.

Uma vez que tenha consciência disso, você já deu o primeiro passo.

Agora, é legal ir um passo além e identificar o que gera esse sentimento para não se sabotar mais.

.

A causa da síndrome do italiano perfeito e como lidar

O que eu vou compartilhar aqui é decorrente de estudos e pesquisas da cientista social e professora Brené Brown, autora do livro “A coragem de ser imperfeito”.

Ela dedicou mais de 10 anos da carreira dela para estudar sobre os sentimentos da vergonha e vulnerabilidade…

E por que estou a citando aqui?

Porque essa síndrome tem relação direta com suas pesquisas.

(Inclusive se você se identifica com esse tema, eu recomendo fortemente a leitura de seu livro)

Segundo a Brené, existe uma grande crença “equivocada” que leva ao perfeccionismo.

Acreditar que se fizermos as coisas com perfeição e parecermos perfeitos, poderemos evitar a exposição e o julgamento dos outros.

Nesse sentido, perceba que o perfeccionismo não está relacionado a se esforçar para se atingir a excelência e crescimento saudável…

Mas ao medo de falhar, cometer erro e ser julgado ou não corresponder às expectativas dos outros.

Perfeccionismo é um mecanismo de defesa do “eu”.

Muitos confundem o perfeccionismo com o autoaperfeiçoamento. Mas se enganam…

Perfeccionismo não é autoaperfeiçoamento, é em essência, tentar obter aprovação.

O autoaperfeiçoamento saudável é focado em si… “Como posso melhorar?”

O perfeccionismo é focado no outro “O que eles vão pensar?”

O perfeccionismo não é o caminho que nos leva aos nossos talentos e a excelência, ele é um desvio perigoso.

Brené Brown

Perceba se você está focado em “Como posso melhorar?” ou “O que eles vão pensar?”

Esta é a mudança de chave que você precisa para superar a busca da perfeição.

.

Perfeição não existe, é uma meta inatingível.

Para se livrar da sombra do perfeccionismo temos que fazer a travessia do…

“O que as pessoas vão pensar” para “Eu estou aprendendo, crescendo e evoluindo… Eu sou o bastante”.

Já dizia o famoso escritor e filósofo iluminista francês Voltaire…

Não deixe o perfeito ser inimigo do bom.

Voltaire

A comunicação imperfeita é melhor que a comunicação não feita.

Esta é uma recomendação que eu falo incansavelmente para os meus alunos do meu curso, nos encontros em grupo e individuais.

Por isso, sinta-se livre para se comunicar com o que já aprendeu e busque sempre melhorar.

Não se trave por medo de errar ou o que os outros podem pensar…

A comunicação somente existe, porque você permite que ela ocorra.

Quando você está se comunicando com um nativo, ele não fala a sua língua, portanto reconheça o seu esforço e continue progredindo!

Se comunique em todos os momentos e oportunidades que tiver, com a prática constante você vai melhorando no caminho.

.

E aí? O que você achou deste artigo?

Se você sofre desta síndrome hoje… o que começará a fazer?

Compartilhe comigo aqui nos comentários abaixo! Vou adorar ver seu comentário ; )

Ci vediamo alla prossima!

.


Priscilla Moraes
Priscilla Moraes

Olá! Eu sou a Priscilla, professora de italiano e criadora do “Italiano com a Priscilla”. Acredito que você seja apaixonado pela cultura e pela língua italiana assim como eu! Desenvolvi um método para tornar possível o ensino do italiano de uma maneira mais clara, fácil e natural. Sono felice di averti qui ; )

Deixe seu Comentário

Compartilhe comigo o que achou desta lição!